DESARMAMENTO: ASSIM COMEÇA DITADURA COMUNISTA

0
8

Comunistas desarmam para roubar, oprimir e matar o seu povo, desarmam para assim evitar qualquer reação de defesa.

As leis restritivas ao uso de armas em sua própria casa foram feitas por FHC e Lula, apesar do referendo popular ter dado grande vitória ao povo possuir uma arma em sua casa para poder se defender, mas como a meta deles é instalar o comunismo, um povo armado que possa se defender representa uma ameaça para a instalação do regime Comunista.

A arma tem o poder de igualar o forte com o fraco, o velho com o moço, a mulher com o homem. Na época do regime militar, quando todo cidadão de bem podia comprar uma arma, ocorriam apenas 2.000 assassinatos por ano, hoje são mais de 60.000. Quando o bandido sabe que o cidadão e as outras pessoas ao redor podem estar armadas, ele evita o confronto direto e vai aproveitar a hora que ninguém está vendo, agindo com menos violência. Além disso, as leis de hoje punem o cidadão quando usa a arma em sua legítima defesa!

O desarmamento da população sempre aconteceu antes de todas as ditaduras sanguinárias serem implantadas, pois o objetivo é tirar do cidadão comum a possibilidade de reagir, caso contrário não conseguem escravizar e massacrar o povo, senão vejamos:

Em 1911 a Turquia desarmou a sua população, e de 1915 a 1917, mais de 1,5 milhões de Armênios, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados.

Em 1929, a União Soviética também desarmou a sua população, de 1929 a 1953, cerca de 20 milhões de dissidentes, impossibilitados de se defenderem, foram caçados e exterminados pelo governo comunista.

Em 1938 a Alemanha desarmou a população, isso um ano antes da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e cerca de 13 milhões de judeus e outros “não arianos”, impossibilitados de se defenderem, foram exterminados pelo governo nazista.

Em 1935, a China também desarmou a sua população, e entre 1948 a 1952, 20 milhões de dissidentes políticos também foram caçados e exterminados pelo governo comunista.

Em 1964 a Guatemala desarmou também a sua população, de 1964 a 1981, mais de 100 mil índios Maias desarmados, que resistiram por séculos à submissão dos colonizadores, impossibilitados de se defenderem, também foram caçados e exterminados pelo governo.

Em 1970, Uganda desarmou a população e de 1971 a 1978, cerca de 300 mil cristãos foram aniquilados pelo governo.

Em 1956 o Camboja desarmou a sua população, e de 1975 a 1977, 1 milhão de pessoas foram assassinadas pelo governo comunista.

Os exemplos são inúmeros e se repetem na História de diversos países. Em todos esses governos houve ações de desarmamento total da população civil que antecedeu um pesado massacre por parte desses governos ditatoriais contra a população desarmada.

Vamos analisar dados mais atuais:

Há pouco mais de um ano a Austrália editou uma lei obrigando os proprietários de armas a entregá-las e 64.000 armas foram destruídas. Os resultados no primeiro ano foi o seguinte: os homicídios subiram 3,2%, as agressões subiram 8,6%, os assaltos a mão armada subiram 44%, somente no estado de Vitória, os homicídios subiram 300%.

O mesmo aconteceu no Reino Unido que adotou o desarmamento da população, os crimes a mão armada cresceram 35% logo no primeiro ano após o desarmamento e os assassinatos com arma de fogo tiveram um aumento de 32%.

Fato semelhante está acontecendo no Brasil, que se tornou recordista mundial em números absolutos de homicídios, apesar de ter em vigor desde 2003 o Estatuto do Desarmamento, uma das leis mais restritivas à posse e o porte (que virou lenda!) de armas em todo o mundo.

Em resumo, o que notamos nesses países é que o desarmamento do cidadão de bem, que só adquire armas e munições pelos meios legais, não diminuiu a violência por armas de fogo, muito pelo contrário, deixa os criminosos mais ousados para cometer crimes!

Veja esse vídeo que mostra bem como isso acontece:

www.youtu.be/FGGYTQLPs0g

Veja a postagem em nossa página Direito de Defesa:

www.facebook.com/Direito.de.Defesa/posts/1335117183273787

LEAVE A REPLY